Espanhol vs. spanglish: qual a melhor abordagem para o mercado B2B de hispânicos dos EUA?

Você deve atender os seus compradores B2B em espanhol? Inglês? Ou na fusão linguística chamada spanglish?

Avatar de Craig Witt
Craig Witt

04 de abril de 2018

LEITURA DE 4 MIN.

Quando se trata de marketing para hispânicos dos EUA, você tem uma grande vantagem ao comunicar com eles no seu idioma preferido. Mas há uma outra questão de tradução a ser considerada para ganhar os clientes B2B:

Deverá usar espanhol? Ou a combinação de inglês e espanhol chamada spanglish, que é popular em alguns lugares?

A resposta é crítica, especialmente quando se trata do altamente especializado segmento B2B. Você não se pode dar ao luxo de errar nessa área da sua estratégia de marketing. Mas também não a pode ignorar.

Veja aqui o que é preciso saber.

O que esperam os clientes B2B

Atualmente, não é raro ouvir os profissionais de marketing recomendarem a utilização de spanglish para comunicar com os hispânicos dos EUA. É uma estratégia que faz sentido quando o alvo são clientes B2C na faixa dos 20 e 30, ou seja, a geração Y. A geração Y de hispânicos dos EUA geralmente usa inglês e espanhol nas suas comunicações diárias.

Mas muito do que está a ouvir sobre marketing em spanglish é direcionado especificamente para os consumidores, e não para as empresas. O que é fundamental na venda B2B para o mercado hispânico dos EUA ainda está em mudança à medida que as empresas fazem experiências para chegar a esse segmento pouco explorado do mercado B2B em geral.

A estratégia de fazer vendas B2B para o mercado hispânico dos EUA ainda está a passar por mudanças, incluindo a utilização de "spanglish" para alcançar empresas.

Mas existe uma mensagem que chega clara e em bom som. Os empresários hispânicos dos EUA são atraídos pela mesma coisa que atrai a maioria dos empresários.

Profissionalismo.

Independentemente da forma como comunica com empresas hispânicas nos EUA, precisa de ter certeza de que o conteúdo traduzido é profissional. E para muitos empresários, o spanglish é simplesmente muito coloquial e informal para fazer negócios.

O espanhol formal transmite profissionalismo

O spanglish está a ser cada vez mais usado por jovens hispânicos nos EUA, e isso significa que ainda é frequentemente associado à cultura jovem. Em muitos círculos, consideram tão informal como usar "LOL" numa mensagem de texto. É social, o que é ótimo para ligações pessoais. Mas não é ideal em ambiente de negócios.

Além disso, os empresários procuram parceiros B2B em que possam confiar para compreender as suas necessidades e as satisfazer com profissionalismo. É para isso que serve o seu conteúdo traduzido - para lhes falar sobre como o seu produto ou serviço lhes resolve os problemas, bem como da sua capacidade para lhes oferecer o que precisam, quando precisam e como precisam.

Essa é a ligação que orienta as decisões de compra a seu favor. E você precisa de fazer essa ligação a nível profissional e não social.

As vantagens e as desvantagens do spanglish

Mas só porque os clientes B2B adotam uma abordagem mais formal de negócios não significa que precise de ignorar completamente o spanglish. Existem ocasiões nas quais usar uma combinação de espanhol e inglês pode ajudar. A chave é saber quando.

Considere traduzir o conteúdo para spanglish nos seguintes casos:

  • Guias de instruções, especialmente se forem direcionados à geração Y de hispânicos dos EUA
  • Materiais destinados especificamente a jovens hispânicos dos EUA, que cresceram nos EUA
  • Ferramentas on-line direcionadas a utilizadores que sabe serem muito mais inclinados a usar spanglish.
Existem ocasiões nas quais usar uma combinação de espanhol e inglês pode ajudar. A chave é saber quando.

Mas lembre-se de que o spanglish tem algumas sérias desvantagens para o mercado B2B:

  • Depende em grande parte de como e onde uma pessoa foi educada. Os hispânicos dos EUA que foram educados em países onde se fala espanhol têm menor probabilidade de serem proficientes em spanglish do que aqueles que foram criados nos EUA.
  • Tende a ser unidirecional. As pessoas que falam spanglish geralmente não têm problema com o espanhol, mas o inverso não é válido. As mensagens em spanglish não chegarão eficazmente às pessoas que aprenderam espanhol como primeira língua.

Conheça os seus clientes

Conclusão: conheça os seus clientes B2B. Compreender o que eles precisam, o que os move e o que preferem aumenta a probabilidade de ligação consigo e confiem nos seus produtos ou serviços.

Portanto, quando se trata de traduzir conteúdo para tomadores de decisões B2B, lembre-se de como eles são:

Trabalham em grupos

As decisões de compra B2B geralmente são tomadas por equipas, cujos membros provavelmente têm níveis de domínio diferentes de inglês, espanhol e spanglish.

São conservadores

Grandes decisões de compra são geralmente aprovadas pelos quadros superiores. Estes profissionais tendem a ser mais velhos e mais conservadores do que a geração Y, e provavelmente consideram o spanglish informal demais para os negócios.

O espanhol pode ser o primeiro idioma deles

De acordo com o último censo dos EUA, aproximadamente 35% da população de hispânicos dos EUA nasceu no estrangeiro. Isso significa que provavelmente o espanhol é o primeiro idioma deles, e o idioma no qual se sentem mais à vontade para fazer negócios.

O resultado

Parte do seu público pode falar perfeitamente inglês, outros spanglish, outros espanhol. Você precisa de convencer todos eles a escolherem a sua marca. A maneira melhor e mais segura de fazer isso é apresentar o conteúdo de marketing em espanhol e também em inglês, para chegar a todos.

Ao fazer parceria com um fornecedor de tradução, escolha o melhor especialista em B2B da categoria, que possa oferecer ótimas traduções para espanhol, independentemente do seu CMS, com recursos totalmente prontos a utilizar para aliviar o trabalho da sua equipa.

Avatar de Craig Witt
Craig Witt

04 de abril de 2018

LEITURA DE 4 MIN.